Gengivite e periodontite: O que é e como tratar?

Atualizado: 3 de Out de 2018

Gengivite e periodontite, já ouviu falar? Tratar da saúde bucal do seu cão pode melhorar sua qualidade de vida. A veterinária Michele Venturini da Odontovet te conta mais!




Podemos dizer que a gengivite e a periodontite são fases da doença que mais compromete a boca dos cães, principalmente de pequeno porte, que é a doença periodontal.


Sabe quando ficamos o dia todo sem escovar os dentes e temos aquela sensação de dente sujo? Isso acontece porque existem bactérias em nossa boca que grudam no dente formando a placa bacteriana. Nós escovamos os dentes diariamente e usamos fio dental, porém nem sempre fazemos isso em nosso amigos peludos! Desta forma, esta placa, cheia de bactérias amadurece e causa inflamação da gengiva. Com o tempo, ela também de calcifica formando o tártaro que facilita o acúmulo diário da placa. A inflamação, que chamamos de gengivite, é a resposta do organismo diante do agressor placa bacteriana. É reversível, e por isso, é nesta hora que devemos tratar. Na verdade, o ideal seria nem deixar chegar nesta fase escovando os dentes dos cães diariamente desde filhote.


O principal sinal da existência da gengivite é o famoso “bafinho” e podendo também ter sangramento da gengiva quando o cão rói um osso ou quando tenta-se escovar seus dentes. Às vezes, iniciar a escovação dental diária é suficiente na fase de gengivite porém, se o paciente já tiver tártaro sobre os dentes, será necessário primeiro fazer a profilaxia (limpeza de tártaro) com o médico veterinário especializado para depois começar a escovar.

Se não pararmos a doença nesta fase, ela pode evoluir para estruturas mais internas que sustentam o dente, temos então a periodontite, que é irreversível e que pode ter vários graus, desde inicial à severa quando os dentes ficam abalados (“moles”) e às vezes até caem sozinhos. O cão tem dificuldade para comer a ração seca e muita dor, apesar de nem sempre os tutores perceberem isso. É muito frequente ouvirmos : “ele não gosta mais de ração seca e prefere comer a ração molhada” ou “ele já está ficando velhinho, não brinca mais como antes e dorme o dia todo”... Na verdade, estes sintomas são de desconforto oral. O paciente, mesmo que idoso, precisa ser tratado para o bem estar e saúde dele.


Vários estudos relacionam a falta de saúde oral com doenças cardiovasculares, com dificuldade de controle da glicemia em pacientes diabéticos além do aumento do risco de desenvolvimento de doenças degenerativas. O tratamento precisa ser feito com o profissional habilitado que irá radiografar todos os dentes para poder indicar o melhor tratamento, que muitas vezes é a extração dos dentes ruins. Mas fiquem tranquilos, a extração só trará bem estar e saúde e os cães se adaptam muito bem com a ausência de alguns dentes. Vários pacientes rejuvenescem após o tratamento dos dentes voltando a brincar e comer a ração seca!


Assim, esta história de “deixar juntar mais” para tratar não pode ser levada à serio! Começou um “bafinho”, já é hora de tratar! Outra coisa que também não pode ser considerada é: “ele não pode mais tratar os dentes porque tem 10, 12, 14 ou 16 anos e não pode tomar anestesia”. Isso é mentira! Idade não é impeditivo para a anestesia bem feita. Tudo vai depender dos exames e da qualidade da anestesia! Ninguém merece sentir dor, principalmente na velhice.


Até mais!


Conheça mais sobre a Odontovet!

#odontovet #gengivite #periodontite #odontologia #veterinária #cuidados #saúde #canina #cachorro

137 visualizações

Autenticão 2018

Todos os direitos reservados

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White LinkedIn Icon
  • White Google+ Icon

Autenticão - São Paulo - ​30.041.893/0001-84​ - PAC 9 dias úteis / Sedex 6 dias úteis

Site created by Carolina Koury